Ceará revelado

Tribuna do Ceará 2

Uma reunião de gente bacana em torno de uma ação interessante. Festa boa é assim. Para comemorar seu aniversário, a Tribuna do Ceará selecionou 24 fotos do estado publicadas originalmente no Instagram. Fui um dos convidados a participar do projeto, contribuindo com dois registros de Fortaleza (Galeria Pedro Jorge e Aterro da Praia de Iracema). Parabéns pela data e obrigado pelo convite, equipe da Tribuna!

Pós-fotografia

Batizada de pós-fotografia, a tônica da produção se concentra na edição, reinterpretação e no remix de imagens já existentes e espalhadas pela web.

[…] A pós-fotografia, porém, reacendeu discussões em torno da autoria de cliques compartilhados na internet. Há, ainda, críticas quanto a considerar reproduções de tela como trabalhos fotográficos.

[…] Se o conceito de fotografia foi tradicionalmente consolidado na ideia de escrever com luz, as novas produções são construídas a partir do processamento de algoritmos, sem o uso de câmeras.

Trecho do belo material produzido pelo suplemento Tec, da Folha de São Paulo.

FestAruanda 2013

Hoje chega ao fim o FestAruanda 2013. Foi bacana participar mais uma vez da seleção dos curtas. Muitos filmes não podem ser assistidos online. São produções recentes, ainda em circulação nos festivais (não raro, tais eventos pedem ineditismo em relação a outras plataformas).

Todavia… Como no ano passado não rolou festival, decidimos resgatar alguns títulos de safras anteriores. Dique (vídeo acima) e Linear são ótimos exemplos. Ambos disponíveis na rede.

Propriedade intangível

Vivemos uma era em que nossos jovens deixaram de ver televisão para fazer televisão. E temo que estejamos produzindo uma geração de criminosos por causa do sistema de regulação desatualizado.

A lei do direto autoral poderia ser atualizada para servir melhor aos interesses de artistas e evitar transformar crianças em criminosos. Deveríamos estar fazendo isso.

Ideias como “uso justo” têm que ser centrais e protegidas para possibilitar a existência de ambas as culturas criativas: a comercial e a do compartilhamento.

E é preciso haver liberdade, que significa permissão para qualquer um usar sua capacidade de criar.

O “Creative Commons” oferece a autores a possibilidade de marcar seus conteúdos com as liberdades que pretendem que a obra carregue.

Lawrence Lessig, professor de direito de Harvard (EUA) e um dos grandes ativistas da  flexibilização das regras de propriedade intelectual.