Social commerce, a nova tendência do comércio eletrônico

Acima, vídeo mostra a transformação da moda através dos anos. O viral foi criado para divulgar o lançamento de um novo shopping. Evidentemente, hoje o consumidor tem muito mais possibilidades que a loja física: nos EUA, roupa é o produto mais comprado online.

(Veja também: as iniciativas mais inovadoras da moda)

Atualmente, o comércio eletrônico foi além dos sites de compra e da febre das compras coletivas.  O e-commerce se diversificou: m-commerce (mobile), t-commerce (via tvs inteligentes ou tablets) e s-commerce (nas redes sociais) são algumas das opções do cliente virtual.

Dentro desse último, há uma subdivisão que se destaca: f-commerce. Utilizar o Facebook para vender produtos é vantajoso pelo tamanho do público que usa o serviço (750 milhões de usuários!). Além disso, pode-se criar gratuitamente lojas virtuais por lá. O Payvment, uma ferramenta para realizar negócios via social commerce, é um dos destaques desse setor. O serviço serviu de inspiração para a LikeStoreuma das opções nacionais para ganhar dinheiro no FB.

(Veja também: dicas para lançar uma loja de sucesso no Facebook)

Antes, é necessário criar a expectativa no consumidor. Online, é possível acompanhar as diversas semanas de moda no mundo (recentemente, ocorreram desfiles em Nova York e Londres) ou mesmo saber quando as novidades apresentadas nas passarelas chegaram, de fato, nas lojas.

Frase

Longe de realmente criar tendências, o que a moda faz é transformar em imagem e roupa os modos e as ideologias da sociedade em que está inserida.

(Coluna Última Moda, da Folha)

Que tal passear por Paris de patins?

Bacana esse vídeo mais recente da campanha da AOS, loja virtual britânica especializada em moda, que destaca algumas subculturas da arte, estilo e esporte nas principais cidades do mundo. Abaixo, você confere os bastidores do trabalho.